21 novembro 2012

Vindas e Idas de um amor


Lá fora, as folhas mortas, elas todas voam (vivas são muito poéticas)
Mas antes de morrerem haviam árvores para manter suas esperanças.
Estou chegando para te segurar
Te abraçar.

Não tente pensar sobre o que poderia ter sido. (pensar daria muito trabalho)
É só um aviso para que não passes pelo mesmo.
Lá fora, o amor é a comida do pobre homem.
Calma, estou chegando para te abraçar
Te amar.
 
Porém estarei pronta para o funeral desta ocasião (encontros desconcertantes)
Pois cada ocasião ao seu lado, pode tornar-se um brilhante dia de funeral.


2 comentários:

  1. Olá Bom dia.
    Adorei o Blogue. Muito bom mesmo.
    Se quiser passa no meu, e se seguir avise para eu seguir de volta.
    Deixaria-me muito feliz. <3
    http://labellerapunzel.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Inventei a ironia numa toada de vento
    Roubei as asas a uma gaivota azul
    Colei-lhes um poema cheio de penas
    E enviei-o para uma tonta do sul

    Inventei um mar numa bola de sabão
    Roubei uma corda forte e boa
    Atei um rol de mágoa à mesma
    E afoguei-as nas águas de uma lagoa

    Bom fim de semana


    Doce beijo

    ResponderExcluir