04 junho 2011

Teu sangue é o meu

Eu construí um homem feito de tijolos, 
e vivi no interior de seu peito.

Eu bati minha cabeça contra a parede 
para fazer um coração no fundo de seu peito.
Eu quebrei meu punho contra suas costelas 
para sugar o ar no seu interior.
E por balanço a balanço, e golpe por golpe, 
eu trouxe esse homem para a vida.
Eu construí um homem e cortei sua pele, 
e vivi no interior de seu coração.
Eu o bombei com meus dedos, 
e o amei desde o início.
E com cada batida 
eu dei-lhe uma pulsação do meu próprio.
 Enchi suas veias com o sangue que eu tinha
Até o sangue dele,
Era o meu próprio.
Bem, te construí, 
mas não somos feitos do mesmo material,
Pois te derrubei, 
e você continua sendo mais forte que eu.

(Florence and the Machine-Throwing Brincks)

Um comentário:

  1. Interessante uso de palavras e escolha de imagem... Brutal e delicada ao mesmo tempo... Gostei!

    ResponderExcluir