19 junho 2011

Frustrou? Não exagere...

“O pensamento excessivo enfraquece a vontade;
Quando mais você sabe, mais a sua mente fica confusa.
Uma mente confusa faz surgir a irritação;
O enfraquecido obstruirá o caminho... 


3131925_thumb9_large



...A consciência é um cavalo indomado, 
A mente é um macaco teimoso. 
Se a mente estiver superativa, 
O corpo ficará doente e morrerá...” 
Todo ser humano, desde o nascimento, está fadado a enfrentar pequenas ou grandes derrotas em seu cotidiano. Desta forma, o impacto que esses acontecimentos têm em nossa vida depende da forma como os encaramos. 

É assim que surgem as frustrações, que são “a negação de uma satisfação pela realidade”, um desacordo pelas situações que não trarão aquilo que é almejado pelo indivíduo. E o ponto de vista o qual se avalia esta condição mostrará se a pessoa permanecerá em seus pensamentos estagnados ou enxergará como oportunidades de aprender e crescer mais rápido os infortúnios da vida. 


Como é possível superar essas pequenas e grandes decepções comuns no cotidiano? Bom, acredito que refletir sobre as próprias condutas é o primeiro passo para aprender sobre si. Com isso, quanto mais se consegue perceber as capacidades e limitações, mais segurança se tem para chegar a um resultado com equilíbrio.

“O sentimento predominante da frustração é o de impotência, de incapacidade”. Além do que, acredito que as pessoas criam armadilhas e não as enxergam, por conseqüência deste ato falho, acabam caindo na frustração ou na ânsia de resolver situações, peca pelo mau entendimento das tarefas.

A sensação de impotência e falta de ação vem após a inquietude dentro da pessoa. “A cada experiência ou estímulo atribuímos um significado e, conseqüentemente, temos uma interpretação mental. Uma demissão, por exemplo, é uma experiência chocante. Se dermos a ela um significado catastrófico, nossa vivência desse fato também será catastrófica. A interpretação dada a essa demissão irá desencadear, é claro, uma reação emocional. Pode ser de ódio em relação à empresa, desespero por não saber o que fazer, insegurança, medo”.

Portanto, quando alcançamos a certeza com relação a quem somos, compreendemos nossos defeitos e virtudes, entendemos até onde nossa visão alcança. É assim que geramos uma base de conhecimento e experiências suficientes para superarmos os nossos fracassos, lembrando que podemos aprender com eles e, assim, tentar novamente, de uma forma diferente.

Dê caminho para o cavalo indomado. Entenda a teimosia do macaco e depois esqueça tudo. 



(Por Rafael Kerubas) 

4 comentários:

  1. Thali querida, deixa a porta aberta que a sorte entra!

    :D

    ResponderExcluir
  2. NÃO ESTÁ ABERTA, ESTÁ ESCANCARADA. Haaa..e a janela também está aberta! rsrs =D

    ResponderExcluir
  3. Aí eu percebo o quanto é importante ser transparente com as pessoas. As palavras unem, libertam, nos tornam admiradores, nos fazem enxergar outros lados da vida e claro, nos amadurecem. A palavra verdadeira por vias de fato enobrece, causa rubor e um sentimento o qual tem relação à atenção, pois em algum lugar no planeta alguém acredita em nós. Thali, nem sei como falar algo, mas obrigado. =)

    ResponderExcluir
  4. Nossas palavras possuem grandes poderes e engrandecem pessoas que as vezes nem pensamos que leram aquilo. Beijinhos Rafa. :)

    ResponderExcluir