23 abril 2012

O fim do laço do sapato


Eu sei, vamos morrer, mas somos sensatos
Traga-me os aparatos
Nossas roupas ao chão, cenas de assassinatos
Se fez a noite, e deixamos o medo calado
Bem exatos
Debaixo da cama junto com os sapatos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário