02 abril 2012

Quando meu corpo fala


B1c85be2c01ee259_large_large

Não dá pra imaginar o quanto o meu corpo se contradiz, 
Minhas pernas tremem quando tua voz me chama. 
O palpitar do coração me faz acreditar que não existem ossos entre a camada de pele e os pulmões. 
Em contrapartida minha circulação é quase nula e o sangue que alimenta a minha força faz desbotar o lábio e secar a boca. 
Estou dopado por uma anestesia singular,
Todos os meus poros estão visíveis, 
Por isso me sinto morbidamente exposto. 
Mesmo assim, sou o homem mais forte do mundo, 
E aqui, prestes a perder uma batalha, 
Pronto para ser entregue na mão do inimigo, 
Sorrio ao meu algoz 
E com o oxigênio que me resta no cérebro concluo: 
Estou apaixonado por você.

Chalil Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário