06 maio 2012

Um poema


traída pelo
vento de inverno
a bela
borboleta
lenta- (asa
flor fluindo)
mente
caindo sobre
um rio
congelado
(amargo é
voar
tão longe
pra morrer:
melhor voar pra sempre)
guilherme gontijo flores

Nenhum comentário:

Postar um comentário