20 novembro 2011

POEMA PARA A NAMORADA INSEGURA


15_large

Não me faça tantas perguntas!
Deixe a mania de inquérito, de inquisição, de indagação...
Esqueça de perguntar, lembre de observar, lembre de descobrir, perceba, sinta!
Não ganhas muita coisa forçando a entrada na porta das respostas.
A pergunta fora de tempo, fora de hora, fora de contexto 
está fadada ao fracasso e não alcançará a resposta desejada.

Não me faça tantas perguntas!
Se quiseres saber, eu te digo.
 Sou um livro aberto, e não se faz perguntas a um livro, simplesmente deve-se lê-lo e conhecê-lo.
Não se intrigue querendo saber o que sinto, meus olhos me denunciam.
Perceba o mundo em volta, perceba a mudança em mim ao estar contigo.

Não me faça tantas perguntas!
Se quiseres saber se te amo, dê-me a chance de demonstrar isso por toda a vida.
Se tiveres dúvidas, deixe-me beijá-la e te transmitirei a segurança do meu sentimento.
Se tiveres medo, repouse em meus braços e sentirás a paz de estar com a proteção do amor.
Não me pergunte, aceite o meu amor e viveremos sem dúvidas, sem incertezas e sem a fragilidade da insegurança.

Não te demonstrarei o meu amor com frases, respostas verbais.
Demonstrar-te-ei com atitudes e com a expressão física de tudo que há em mim!
Não me faça perguntas, simplesmente aceite que te amo! 

p.s.¹ Texto do meu querido amigo Fernando Abreu lá da capital.
p.s.² Mulheres, sempre com muitas perguntas!!! Meninas comecem a praticar mais a observação. 
p.s.³ Deixe o amor chegar, não force nada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário