07 julho 2010

Nada é mais o mesmo"

Esperando a chuva de passagem 
e as nuvens que se movem para descobrir
algum horizonte
aqui estou.

Para onde as pessoas foram?
Silêncio demais me confunde.

Ele sempre odiava 
quando pela mesma porta que entrava
ia embora.
Pedia sempre pra eu dormi ali
e deixar a mente livre.

Mas se realmente o sono me trouxesse 
todas as respostas que necessito
ficaria eternamente contigo.

Mas não tem outro jeito.

Preciso ir 
com a 
chuva
e com as 
nuvens
e descobrir 
o santuário 
que não possui arestas.

2 comentários:

  1. esse santuario só pode estar em um lugar ás vezes incaessivel. dentro de nós. belo texto.

    ResponderExcluir
  2. obrigada pelas palavras querido.seja bem vindo e sinta se a vontade para dar sua opinião.

    ResponderExcluir