19 agosto 2011

Amadora

Picture-1_large

Estou sozinha rindo das minhas dores e tentando escrever sobre coisas para soar como poesia. Poeta amadora, isso sim. Poesia barata que parece ter sido escrita em lenço de papel de algum barzinho da cidade. Pode até ser drama de menina mimada, da princesa sem um castelo e sem um príncipe, onde até os vilões somem. Que fique claro, não me importo se parece um drama, todo mundo vive neles mesmo! Não me importo se essa liquidação de 1,99 de palavras não valem nada pra você, não escrevo pra ser  perfeita, a mais correta, escrevo para desabafar, libertar emoções. Agora estou sozinha e sem saída, tenho que me render e ir até a cozinha e fazer meu delicioso brigadeiro, que me acalma, que me afaga e acaba com a autodestruição da poeta amadora, que escreve em lenços de papéis surrados. 



Nenhum comentário:

Postar um comentário